Hoje vamos apresentar a resolução de mais um exame qualificatório da UERJ (o segundo exame de 2003). O link da prova pode ser encontrado abaixo:

http://www.vestibular.uerj.br/portal_vestibular_uerj/arquivos/arquivos2003/2003eq2_2de3.pdf

 

RESOLUÇÃO COMENTADA

23) Esta questão aborda a fisiologia vegetal, discutindo os fatores que influenciam o processo de fotossíntese e o crescimento de plantas.

Neste caso, realizou-se uma experiência em que quatro plantas distintas foram mantidas sob concentrações constantes de CO2 e O2 e umidade e temperatura constantes. Contudo, o tempo de iluminação foi variável para cada planta. Após isso, os vasos contendo cada planta foram colocados em um prato de uma balança, equilibrada com o mesmo peso P0. Após alguns dias, os vasos foram equilibrados com pesos distintos de modo que P3>P2>P1>P4. Então, pergunta-se qual vaso foi submetido a um período de iluminação de 6h.

Para resolver esta questão, precisamos recordar sobre como a taxa de iluminação afeta a fotossíntese:

“O aumento na taxa de iluminação provoca a elevação da taxa fotossintética, ou seja, sob taxa de iluminação mais alta, a produção de matéria orgânica pelas plantas aumenta.”

Contudo, existe um ponto chamado de SATURAÇÃO LUMINOSA, em que, mesmo que ocorra aumento da intensidade luminosa, a taxa fotossintética se manterá constante.

A partir deste conceito, podemos deduzir que, quanto maior o tempo de exposição à luz, maior será a taxa de fotossíntese e, consequentemente, maior será o peso da planta estudada. Sendo assim, a planta que apresentou peso P3 foi aquela exposta ao maior período de luz (12h), enquanto a que apresentou menor peso (P4) foi a que esteve exposta ao menor período de luz (3h). Usando este raciocínio, podemos deduzir que a planta com o peso P2 foi exposta à luz por 9h e a planta com peso P1 foi exposta à luz por 6h.

Desse modo, a resposta correta é a letra A.

 

26) Esta questão envolve conhecimento sobre as principais funções celulares. A questão apresenta uma figura que representa as diversas estruturas celulares. Na pergunta, questiona-se quais dessas estruturas estão relacionadas às seguintes funções celulares: glicólise, síntese de RNA, parte aeróbica da respiração celular e o transporte ativo de íons sódio e potássio.

Para resolvê-la, vamos discutir cada função mencionada:

– Glicólise: processo de quebra de glicose, que ocorre em condições anaeróbias (ausência de oxigênio) e no citoplasma (citosol). Sendo assim, esta função está relacionada com a estrutura 8.

Essa simples observação, já permite deduzir que a resposta correta é a letra A.

– Síntese de RNA: é um processo de produção de RNA a partir da molécula de DNA, que ocorre no núcleo da célula. Sendo assim, esta função está relacionada com a estrutura 5.

– Parte aeróbica da respiração: processo que engloba o ciclo de Krebs e a fosforilação oxidativa, que ocorre no interior das mitocôndrias. Sendo assim, esta função relaciona-se com a estrutura 3.

– Transporte ativo de íons sódio e potássio: processo conhecido como bomba de sódio e potássio. Por se tratar de um caso de transporte de substâncias, o mesmo ocorre através da membrana plasmática. Desse modo, esta função relaciona-se com a estrutura 7.

Resposta correta: letra A.

 

36) Esta questão requer conhecimento sobre os processos de transporte através da membrana plasmática e da importância da cadeia respiratória mitocondrial. Para resolvê-la, vamos relembrar o mecanismo de transporte de glicose e a importância da cadeia respiratória:

– Transporte de glicose: por ser uma molécula de maior tamanho, o transporte dessa substância através da membrana plasmática envolve, inicialmente, um processo de difusão facilitada, que conta com o auxílio de proteínas transportadoras e ocorre a favor do gradiente de concentração (área mais concentrada para a menos concentrada). Após a entrada inicial de glicose, o seu transporte passa a ocorrer contra o gradiente de concentração (da área menos concentrada para a mais concentrada) e passa a ser realizado por meio de um transporte ativo secundário (co-transporte com íons sódio).

– Cadeia respiratória: é uma das etapas do processo de respiração celular e, portanto, é responsável pela síntese de ATP (energia) na célula.

Agora, analisemos o enunciado da questão. Este exercício envolve a realização de uma experiência, em que um pedaço da alça do intestino é obtido e utilizado para formar uma pequena bolsa, de modo que a parte interna do intestino fique voltada para fora. O interior desta bolsa foi preenchido com uma solução salina (soro fisiológico). Após isso, essa bolsa foi mergulhada em uma solução salina contendo glicose. Por fim, mediu-se a variação da concentração de glicose presente na solução externa (fora da bolsa).

Então, pergunta-se qual curva do gráfico representa a experiência acima mencionada. Como resolver isso? Vamos raciocinar juntos. O enunciado diz que a solução externa contém glicose, enquanto a solução interna não possui este nutriente. Sendo assim, a solução externa está mais concentrada que a solução interna. Qual a tendência da glicose nessa situação? Ela deverá entrar na bolsa ou sair dela?

Nesta situação, como a concentração de glicose é mais alta na solução externa, a tendência é que a glicose comece a entrar na bolsa, ou seja, ela deverá passar da solução externa para a solução interna. Sabendo disso, o que ocorrerá com a concentração de glicose na solução externa? Se a glicose está saindo da solução externa para a interna, a concentração da mesma na solução externa deverá DIMINUIR.

Ao analisarmos o gráfico, vemos que somente duas curvas mostram a redução na concentração de glicose, a 2 e a 4. Mas como saber qual dessas representa a experiência?

Agora, devemos analisar uma segunda situação mencionada no enunciado, que é o fato de que, a partir de determinado momento T, adicionou-se um inibidor da cadeia respiratória. Então, devemos raciocinar: “Qual a influência que um inibidor da cadeia respiratória poderá ter sobre o transporte de glicose?”.

– Inicialmente, a concentração de glicose na solução interna era igual a zero. À medida que a glicose foi passando da solução externa para esta solução interna, sua concentração começou a aumentar na solução interna. Então, em determinado momento, a concentração de glicose torna-se mais alta na solução interna que na solução externa. A partir desse momento, o transporte de glicose da solução externa para a interna começa a ocorrer contra o gradiente de concentração (da área menos concentrada para a mais concentrada), o que caracteriza um transporte ativo. Neste momento, o transporte de glicose passa a depender da presença de ATP (energia), que também caracteriza o transporte ativo.

Sendo assim, o que ocorrerá quando colocamos um inibidor da cadeia respiratória? A resposta é simples:

“A cadeia respiratória participa da síntese de ATP e, portanto, se a inibirmos, não haverá produção do ATP. Sem ATP, o transporte ativo de glicose não poderá ocorrer.”

Desse modo, na presença do inibidor de cadeia respiratória, o transporte de glicose será interrompido, de modo que sua concentração permanecerá inalterada após a adição do inibidor. Sendo assim, a única curva que apresenta uma queda antes da adição do inibidor e que, após sua adição, permanece inalterada é a 2. Logo, a resposta correta é a letra B.

 

39) Esta questão aborda o processo de contração muscular. Então, vamos revisar algumas coisas sobre tal processo:

– As fibras musculares estão divididas em unidades menores chamadas de SARCÔMEROS. Cada sarcômero possui filamentos de actina (mais finos) e de miosina (mais grossos). Durante o processo de contração muscular, ocorre o encurtamento dos sarcômeros, envolvendo o deslizamento dos filamentos mais finos de actina sobre os filamentos mais grossos de miosina. Contudo, os sítios de ligação da miosina com a actina encontram-se bloqueados por proteínas chamadas de troponinas. Para que estes sítios sejam liberados, é necessária a ligação de íons cálcio com as troponinas. Sendo assim, para que ocorra a contração muscular, deverá ocorrer saída de íons cálcio do interior do retículo sarcoplasmático (forma especializada do retículo endoplasmático que armazena íons cálcio) para o sarcoplasma (forma especializada de citoplasma).

Imagem

Sendo assim, na contração muscular a concentração de íons cálcio irá diminuir no interior do retículo sarcoplasmático e aumentar no sarcoplasma. Se analisarmos o gráfico, veremos que a partir do tempo T3 até T6, a concentração de cálcion diminui no retículo e aumenta no sarcoplasma. Contudo, a pergunta questiona em qual intervalo temos o músculo sob contração máxima. A resposta é simples:

“A contração será máxima quando a concentração de cálcio for máxima no sarcoplasma e mínima no retículo sarcoplasmático.”

Se analisarmos o gráfico, o intervalo em que isso é observado é T6 a T8. Sendo assim, a resposta correta é a letra C.

 

41) Esta questão requer o conhecimento sobre os processos de partenogênese e mitose. Para isso, vamos relembrar o que é partenogênese:

“Processo de reprodução em que as fêmeas são geradas pela reprodução sexuada e fecundação cruzada. Os machos, por sua vez, são oriundos de óvulos não fecundados das fêmeas.” 

Tendo conhecimento disso e que o óvulo da abelha possui 5×10-14g de DNA, quanto DNA possuirá a célula do zangão? A resposta é simples: se o óvulo possui 5×10-14g e o zangão é oriundo do óvulo, a célula do zangão terá exatamente 5×10-14g. Mas se observarmos, não há nenhuma alternativa que contemple esta resposta.

Observemos que o enunciado menciona que a célula está em uma fase específica da mitose, chamada de prófase. Neste momento, a célula está na primeira etapa do processo de divisão celular. Então, é preciso lembrarmos que, antes da divisão celular, o DNA da célula é duplicado. Sendo assim, se duplicarmos 5×10-14g, teremos 10×10-14g (ou 1×10-13g) de DNA. Ao analisarmos as alternativas, novamente não encontramos essa resposta.

Observe que é perguntado qual a quantidade de DNA em miligramas. Neste caso, basta passar o valor que obtivemos acima para tal unidade (basta multiplicarmos o valor acima por 1000). Sendo assim, obteremos 1×10-10mg de DNA. Sendo assim, a resposta é a letra A.

 

42) A questão fala sobre o processo de digestão. No enunciado, cita-se uma enzima chamada de ptialina, encontrada na saliva. Vamos relembrar quem é essa enzima:

– A ptialina, também chamada de amilase salivar, é uma enzima que realiza a digestão do amido na boca.

Contudo, como o próprio enunciado diz, muitas pessoas não a produzem, mas não apresentam problemas na digestão do amido, pois outro suco digestivo contém uma enzima de ação similar à ptialina. Essa outra enzima também é uma amilase, que é encontrada no suco pancreático (daí ser chamada de amilase pancreática) e atua no duodeno. Sabendo disso, a resposta correta é a letra D.

 

45) A questão aborda a importância da ocorrência de erros para a evolução biológica. No texto-base para a questão, fala-se que os erros são importantes para o progresso. Em seguida, pergunta-se qual processo se relaciona com esse conceito de evolução apresentado no texto-base. Para resolver esta questão, basta lembrarmos um conceito essencial:

“A variabilidade genética entre as espécies e dentro de uma mesma espécie é um importante fator para evolução, visto que, quanto maior a variabilidade genética de uma espécie, maior será a capacidade de adaptação da espécie a mudanças no ambiente onde vive.”

Agora pergunto: “Qual a principal fonte de variação genética?”. A resposta é simples: a principal responsável pelas alterações genéticas são as mutações. Elas ocorrem ALEATORIAMENTE em função de erros durante a replicação do DNA, mas também podem ser induzidas por determinadas substâncias químicas ou mesmo por espécies reativas de oxigênio, entre outros. Sendo assim, a resposta correta é a letra D, visto que menciona a ocorrência de alterações aleatórias no DNA, o que caracteriza as mutações.

Anúncios

Vamos ver mais algumas questões da UERJ? Hoje temos os comentários das questões de biologia do primeiro exame qualificatório de 2003. O link para a prova pode ser encontrado abaixo:

http://www.vestibular.uerj.br/portal_vestibular_uerj/arquivos/arquivos2003/2003eq1_2de3.pdf

 

Resolução comentada

23) Esta resolução exige o conhecimento sobre o controle de pH sanguíneo e deslocamento de equilíbrio químico.

Em primeiro lugar, devemos recordar que o pH sanguíneo é influenciado diretamente pela concentração de gás carbônico (CO2) no sangue. Este gás é capaz de reagir com a água e formar íon H+ e bicarbonato. Sendo assim, quanto maior a quantidade de CO2, maior será a quantidade de H+ e, consequentemente, menor será o valor de pH, o que caracteriza um meio mais ácido.

Outro ponto que devemos ter conhecimento é sobre os conceitos de hipoventilação e hiperventilação. Esses conceitos fazem referência à intensidade da respiração, ou seja, se ela está mais lenta ou acelerada. A hiperventilação caracteriza-se por uma respiração mais acelerada, enquanto a hipoventilação envolve um ritmo respiratório mais lento. Sendo assim, estes processos terão influência direta sobre a velocidade da troca de gases nos alvéolos pulmonares. Na hiperventilação, tal troca é mais intensa, de modo que a eliminação de CO2 na expiração também seja maior.

Agora que revisamos estes tópicos, devemos avaliar a pergunta apresentada, que questiona como estará a concentração de H+ e o pH sanguíneo em um indivíduo sob hiperventilação. Já sabemos que sob hiperventilação, a velocidade das trocas gasosas é maior e, portanto, eliminamos mais CO2. Agora, devemos nos perguntar: “Se a concentração de CO2 diminui no sangue, o que ocorrerá com a concentração de H+?”. Para resolver lembre-se:

“Um aumento em qualquer das concentrações resulta em um deslocamento de equilíbrio para o outro lado. 
A retirada de alguma substância provoca o deslocamento para o seu lado.”

Obedecendo ao conceito acima apresentado, a redução da concentração de CO2 em função da hiperventilação deslocará a reação para o lado de formação do CO2. Sendo assim, a concentração de H+ irá estar baixa, o que faz com o que o pH do meio torne-se mais alto.

Desse modo, a resposta correta é a letra C.

 

31) A questão menciona o fenômeno de ressurgência, que envolve os casos em que correntes marinhas profundas chegam à superfície. O fato do fenômeno estar associado à correntes marinhas mais profundas envolve uma área onde a concentração de sais minerais é maior. Sendo assim, a resposta correta é a letra D.

 

33) A questão exige conhecimento sobre o processo de fotossíntese para sua resolução. Vamos então relembrar alguns pontos sobre tal processo:

– A fotossíntese está dividida em duas etapas essenciais chamadas de reações de claro (primeira fase) e reações de escuro (segunda fase);

– Durante a fase clara ocorre a fotólise da água, que produz oxigênio (O2) e as reações de fotofosforilação que produzem ATP e NADPH, que serão utilizados nas reações de escuro;

– A fase escura compreende a ocorrência do ciclo de Kalvin ou ciclo das pentoses, que realiza a fixação do CO2, produzindo açúcares.

Com base nas observações acima, podemos deduzir que a água produz o oxigênio durante a fase clara e que o CO2 forma os açúcares na fase escura. Então, as setas identificadas por 1, 2, 3 e 4 representam quais substâncias?

Sabemos que a água e o CO2 são reagentes no processo de fotossíntese. Logo, as setas tem que estar partindo deles. Desse modo, só podem ser representados pelas setas 1 e 4. Mas como saber qual seta representa cada um deles? Basta lembrarmos que a água participa da fase clara e que o CO2 participa da fase escura. Sendo assim, a água é representada pela seta 1, enquanto o CO2 é representado pela seta 4.

Sabendo apenas disso, podemos deduzir que a resposta correta é a letra D.

Para confirmar, lembre-se que o oxigênio é produto gerado na fase clara e que os açúcares são os produtos da fase escura.

 

34) Esta questão envolve conhecimentos sobre a fisiologia endócrina. No enunciado, é dito que foi feita a medição da pressão arterial e da frequência cardíaca (número de batimentos cardíacos por minuto) em um animal antes e depois da injeção de um extrato de glândula suprarrenal. Os resultados da experiência são representados em um gráfico, em que se indica as medições dos dois parâmetros antes da injeção e pergunta-se qual ponto do gráfico representa a medição após a injeção do extrato.

Para resolver esta questão, devemos relembrar as características da glândula suprarrenal, também chamada de adrenal. Esta glândula é encontrada acima dos rins e é responsável pela produção de alguns hormônios importantes em nosso corpo, como, por exemplo, os glicocorticoides, mineralocorticoides e a adrenalina. Mas como saber quais desses hormônios podem ter efeitos sobre a pressão arterial e a frequência cardíaca? Repare no enunciado é mencionado que o extrato foi produzido a partir da porção medular da glândula. Essa parte da suprarrenal é responsável pela produção de adrenalina, enquanto o córtex da glândula produz os outros hormônios.

Sabendo-se que o extrato foi produzido com a porção responsável por produzir adrenalina, quais os possíveis efeitos desse hormônio sobre o animal? A adrenalina apresenta diversos efeitos, como, por exemplo, elevação da frequência cardíaca, aumento do débito cardíaco (volume de sangue bombeado pelo coração por minuto) e, consequentemente, da pressão arterial, aumento da sudorese, estímulo à glinoneogênese (síntese de glicose), etc.

Tendo em vista os efeitos cardíacos da adrenalina, podemos deduzir que tanto a pressão arterial quanto a frequência cardíaca do animal deverão estar mais altas que antes da injeção. Sendo assim, a resposta correta é a letra B.

 

35) Esta questão exige conhecimento sobre a estrutura das mitocôndrias. Elas são organelas formadas por duas membranas: externa e interna. Além disso, temos o espaço intermembranas, a matriz mitocondrial e o DNA mitocondrial. Todas essas estruturas estão representadas na figura apresentada no enunciado da questão.

Agora devemos avaliar em qual dessas estruturas são encontradas a ATP sintase, os ribossomos e as enzimas responsáveis pela produção de CO2. Então, para resolver devemos sempre lembrar: 

– A ATP sintase é uma enzima responsável pela síntese de ATP nas mitocôndrias e é encontrada na membrana interna mitocondrial. Sendo assim, tal enzima é encontrada na estrutura representada pelo número 3;

Com base nesse conhecimento, já podemos deduzir que a resposta correta é a letra C. Todavia, é importante lembrarmos que:

– O gás carbônico (CO2) é produzido durante a respiração celular, especificamente durante a conversão do piruvato em Acetil-CoA e no ciclo de Krebs. Estas etapas ocorrem na matriz mitocondrial. Sendo assim, as enzimas que produzem CO2 são encontradas na matriz, que é representada pelo número 2;

– Como as mitocôndrias possuem DNA próprio, elas podem fabricar algumas de suas proteínas. Sendo assim, ela possui ribossomos em seu interior, mais especificamente na matriz mitocondrial. Estes ribossomos realizam a tradução do RNA mensageiro produzido a partir do DNA mitocondrial. Sabendo que são encontrados na matriz, tal estrutura é representada pelo número 2.

 

36) Esta questão aborda a temática da teoria evolutiva de Darwin. No enunciado, explica-se que, de acordo com tal teoria, as espécies portadoras de características mais vantajosas levam uma vantagem sobre espécies com as quais se esteja em competição. Na verdade, este é o princípio mais básico da teoria Darwiniana, que envolve a existência de variação entre espécies e a ação do ambiente, que seleciona os indivíduos portadores de caracteres mais adaptativos ou vantajosos, o que chamamos de seleção natural.

Em seguida, o enunciado apresenta quatro afirmativas e pergunta-se qual dessas afirmativas que, se fosse verdadeira, poderia por um fim às ideias apresentadas por Darwin. Para resolver a questão, vamos analisar cada situação separadamente:

– Afirmativa I: neste caso, diz-se que a quantidade de indivíduos que nascem é superior a quantidade de indivíduos que vivem. Tal afirmativa está de acordo com a teoria de Darwin, visto que, uma parte dos indivíduos nascidos, morre em função da competição entre os indivíduos dessa espécie ou com indivíduos de espécies diferentes.

LEMBRE-SE: a luta pela existência ou sobrevivência é um dos princípios norteadores da teoria de Darwin!

– Afirmativa II: diz-se que a luta pela existência deriva da rapidez com que os seres vivos se multiplicam ou reproduzem. Esta afirmativa também está de acordo com a teoria de Darwin, visto que a intensidade da competição tende a aumentar conforme as populações aumentam, pois os recursos disponíveis no ambiente tornam-se escassos mais rapidamente. 

Imagem

SUGESTÃO: http://www.youtube.com/watch?v=ZVj76SpbGeA (este link apresenta o filme intitulado “O desafio de Darwin”)

– Afirmativa III: este item menciona a seleção natural e diz que ela promove modificações em qualquer espécie para benefício de outra espécie. Esta afirmativa é contrária à teoria Darwiniana por dois motivos. O primeiro deles envolve o fato da seleção natural não provocar modificações, mas sim selecionar os caracteres em função de serem mais ou menos vantajosos. O segundo e mais importante envolve o fato das modificações trazerem benefícios para outra espécie; Darwin afirma exatamente o contrário, ou seja, as modificações trazem benefícios para a própria espécie.

Sendo assim, já podemos concluir que a letra C é a resposta correta. Contudo, vamos analisar a quarta afirmativa: 

– Afirmativa IV: tal afirmativa está de acordo com Darwin, visto que a seleção natural é responsável por selecionar os caracteres mais adaptativos, tornando a espécie mais adaptada que seus concorrentes.

Imagem

Dois tópicos comumente abordados nas provas de biologia dos principais vestibulares do país são as disciplinas de Biologia Celular e Genética. Vamos praticar os nossos conhecimentos dentro dessa área? Abaixo temos duas listas de exercícios voltados para este assunto:

https://gleisonmagalhaes.files.wordpress.com/2014/04/lista-genc3a9tica1.pdf

https://gleisonmagalhaes.files.wordpress.com/2014/04/lista-biologia-celular1.pdf

BONS ESTUDOS!!!! 

Nota  —  Publicado: 22 de abril de 2014 em Sem categoria

FEBRE DO CHIKUNGUNYA

Publicado: 16 de abril de 2014 em Sem categoria

Imagem

 

Estar atento às atualidades na área de biologia e medicina é sempre importante para os vestibulandos. Os principais vestibulares do país tendem a abordar temas amplamente discutidos na atualidade. Como exemplos disso, podemos citar as constantes questões sobre aquecimento global nas provas do ENEM, a abordagem de questões sobre o vírus H1N1 na época da pandemia de gripe suína, as questões sobre a síndrome da vaca louca na época em que estava sendo discutida, entre outras.

Este ano, um novo tema na área de saúde está sendo comentado. Trata-se da FEBRE DO CHIKUNGUNYA, uma doença que vem se alastrando pelo mundo desde 2004 e com uma peculiaridade bastante relacionada ao Brasil: o vírus da doença é transmitido pelo mesmo mosquito que a dengue e a febre amarela urbana (Aedes aegypti) e apresenta sintomas similares à dengue. Para os que tiverem interesse, leiam a notícia disponível do site da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), disponível no link abaixo:

http://portal.fiocruz.br/pt-br/content/pesquisa-do-ioc-e-instituto-pasteur-alerta-para-risco-de-epidemia-de-chikungunya-no-brasil

 

Hoje vamos discutir as questões do segundo exame de qualificação da UERJ em 2002. O link da prova encontra-se abaixo:

http://www.vestibular.uerj.br/portal_vestibular_uerj/arquivos/arquivos2002/2002eq2_2de3.pdf

 

QUESTÃO 25

Esta questão fala sobre a destruição da camada de ozônio, intensificação da radiação solar e os riscos para o desenvolvimento do câncer de pele, mencionando o menor risco dos negros em desenvolver a doença.

Então, pergunta-se qual a associação correta entre o tipo de radiação e a substância encontrada na pele, que torna os negros menos propensos a terem câncer de pele.

Para resolvê-la, basta lembrarmos a função da camada de ozônio, que é bloquear a radiação ultravioleta. Sabendo disso, já acharemos a resposta correta, que é a letra B. Contudo, a termos de conhecimentos, devemos saber qual substância na pele nos protege da radiação solar. Esta proteção deve-se a presença de uma proteína chamada de melanina, que é encontrada em maior quantidade na pele de pessoas negras.

Imagem

 

Sugestões de leitura:

http://www.cetesb.sp.gov.br/userfiles/file/laboratorios/fiea/radiacao_uv_portugues.pdf

http://www.inca.gov.br/situacao/arquivos/causalidade_exp_solar.pdf

 

QUESTÃO 29

Esta questão fala sobre a síndrome da vaca louca e sobre a transformação de príons normais, encontrados no sistema nervoso, em príons infecciosos. Outra informação relevante é que os príons normais são digeridos pela enzima tripsina, enquanto os príons infecciosos não são.

Então, para resolver esta questão, basta lembrarmos qual tipo de molécula é digerida pela tripsina e procurá-la nas alternativas apresentadas.

A tripsina é uma enzima presente no duodeno, que é responsável por digerir proteínas e peptídeos.

Agora vamos analisar os nomes apresentados porque muitos causam confusão nos alunos. Vejamos os significados de cada termo apresentado:

– Glicolipídica: relacionado aos glicolipídios, que são associações entre lipídios e açúcares (glicídios);

– Polipeptídica: relacionado aos polipeptídeos. São moléculas formadas por aminoácidos, assim como as proteínas, mas que possuem menor quantidade de aminoácidos que uma proteína.

– Polissacarídica: relacionado aos polissacarídeos, que são formados pela ligação entre várias moléculas de monossacarídeos. Em resumo, são açúcares mais complexos. Os três principais exemplos são o amido, a celulose e o glicogênio, que são polímeros de glicose.

– Oligonucleotídica: relacionado aos oligonucleotídeos, que são fragmentos de cadeias de DNA ou RNA formado por uma pequena quantidade de nucleotídeos.

Baseado no significado destes termos, podemos dizer que o único que pode ser digerido pela tripsina são os polipeptídeos. Logo, a resposta correta é a letra B.

 

QUESTÃO 30

Esta questão fala sobre a fisiologia vegetal e aborda a influência da concentração de gás carbônico e da intensidade luminosa sobre a fotossíntese. Para avaliar os efeitos destes fatores sobre a fotossíntese, foram realizadas experiências com cinco plantas submetidas a uma dada concentração de CO2 e determinada intensidade luminosa e mediu-se a capacidade fotossintética. Então, pergunta-se em quais valores mínimos de C e I é atingida a saturação.

A primeira pergunta que faço aos alunos é: “O que é saturação?”. Em uma reação química ou em processos que envolvem várias reações (como é o caso da fotossíntese), a saturação pode ser definida como o ponto em que o aumento dos fatores de reação não altera o produto final. No caso da fotossíntese, seria o ponto em que o aumento da intensidade luminosa ou da concentração de CO2 não provoca mais alterações na capacidade fotossintética, ou seja, ela se mantém constante.

Então, tendo esta informação em mente, poderemos analisar a tabela de resultados e tentar descobrir qual intensidade luminosa e concentração de gás carbônico indicam a saturação. Analisemos a tabela.

No primeiro ponto, temos uma concentração C1 de gás carbônico com uma intensidade I1 e obtemos uma capacidade T1.

Na segunda planta, dobrou-se a concentração de gás carbônico para C2 e mantivemos a intensidade igual a I1 e a capacidade também dobrou e ficou igual a T2. Podemos dizer que a capacidade dobrou, pois dobramos a concentração de gás carbônico, visto que a intensidade luminosa foi mantida constante.

Na terceira planta, mantivemos a concentração de CO2 igual a C2 e aumentamos a intensidade para I2 e a capacidade fotossintética se manteve constante e igual a T2. Repare que a concentração de gás carbônico foi mantida constante; portanto, não pode alterar a capacidade fotossintética. Contudo, aumentamos a intensidade luminosa para I2 e, mesmo assim, a capacidade fotossintética se manteve igual a T2. Isso indica que o I1 é o ponto de saturação luminosa, ou seja, a partir deste ponto, podemos aumentar a intensidade luminosa, mas a capacidade fotossintética sempre se manterá constante.

Na quarta planta, aumentamos a concentração de gás carbônico para C3 e a intensidade luminosa para I3 e vimos um aumento na capacidade fotossintética para T3. Considerando que o ponto de saturação luminosa era o I1, provavelmente este aumento na capacidade fotossintética está relacionado com o aumento na concentração de gás carbônico.

Na quinta planta, aumentamos a concentração de gás carbônico para C4 e a intensidade luminosa para I4, mas a capacidade fotossintética se manteve constante e igual a T3. Como ponto de saturação luminosa era o I1, neste momento devemos ter atingido o ponto de saturação para o CO2, que é o C3.

Sendo assim, a resposta correta é a letra D.

 

QUESTÃO 31

Esta questão aborda um tópico sobre o metabolismo energético e exige o conhecimento sobre o processo de glicólise.

No enunciado, mencionam-se três moléculas distintas: glicose, ácido pirúvico e gliceraldeído. Além disso, apresentam-se três estruturas moleculares distintas, identificadas pelas letras X, Y e Z e diz-se que essas estruturas estão relacionadas com cada uma das moléculas mencionadas acima.

Por fim, ele pede que você identifique a ordem das substâncias X, Y e Z no processo de glicólise (etapa metabólica tratada na questão).

Para resolver esta questão, precisamos recordar o conceito de glicólise: 

“Processo de quebra da molécula de glicose, que ocorre no citoplasma das células e produz duas moléculas de piruvato (ácido pirúvico), duas moléculas de NADH e duas moléculas de ATP (adenosina trifosfato).”

Após isso, podemos determinar a ordem das três moléculas. Considerando que a glicólise é a quebra da glicose, podemos dizer que, no início do processo, teremos uma molécula de maior tamanho, que é a glicose. Então, comparando X, Y e Z, qual dessas possui maior tamanho? Muito bem! É fácil visualizar que a molécula X possui maior tamanho. Então, X seria a primeira molécula nesse ordenamento e representa a glicose; com isso, podemos eliminar as alternativas B e D. Agora temos que determinar quem são as substâncias Y e Z. Para isso, podemos utilizar nossos conhecimentos de química orgânica (parte da química que estuda os compostos do carbono). Repare que as outras duas substâncias só podem ser o ácido pirúvico ou o gliceraldeído. Os nomes dessas substâncias indicam a função orgânica a qual esses compostos pertencem; reparem no nome gliceraldeído, que indica que esta molécula é um aldeído; repare também no nome ácido pirúvico, que indica que é um ácido carboxílico (única função orgânica que indica os ácidos). Agora vamos relembrar qual a característica marcante dessas duas funções: os ácidos carboxílicos são caracterizados pela presença do grupo carboxila (carbono fazendo ligação dupla com o oxigênio e ligação simples com o grupo OH e representado como COOH), enquanto os aldeídos possuem o grupo CHO (carbono fazendo dupla ligação com o oxigênio e ligação simples com o H). Com base nisso, podemos dizer que a substância Y é o ácido pirúvico, enquanto a substância Z é o gliceraldeído. Agora, precisamos determinar a ordem de cada um deles; lembre-se do enunciado da glicólise apresentado no início da resolução; o ácido pirúvico é o produto final da glicólise e, portanto, será a última substância no nosso ordenamento; sendo assim, o gliceraldeído é um composto intermediário.

Sendo assim, a resposta correta é a letra C.

 

Imagem

 

QUESTÃO 33

A questão baseia-se num texto que fala sobre a digestão do DNA com enzimas de restrição e a separação de seus fragmentos por eletroforese. Neste texto, cita-se que os fragmentos de DNA tendem a migrar para o polo positivo.

Para resolvê-la, basta lembrarmos que o DNA possui carga negativa devido à presença de um grupamento específico nos nucleotídeos que o formam. Este grupamento é o fostato, que possui fórmula PO43-

 

QUESTÃO 35

Esta é uma questão clássica de ecologia de populações, em que se analisa a variação na densidade de populações de traíras e lambaris.

Para resolvê-la, precisaremos analisar o gráfico e utilizar algumas informações relevantes apresentadas no enunciado. Ao lermos o enunciado, vemos que uma informação relevante para sua resolução é o fato das traíras serem predadores naturais dos lambaris. O que significa isso? Significa que as traíras se alimentam dos lambaris.

Agora vamos analisar a pergunta apresentada: ele pede que se indique a curva do gráfico que representa a população dos lambaris, sabendo que a curva 1 representa a variação da densidade populacional das traíras.

Como resolver isso? Basta utilizarmos nossas informações: sabemos que as traíras são predadores dos lambaris. Então, o que ocorrerá com a população de lambaris se as traíras aumentarem em quantidade? Muito bem! A população de lambaris diminuirá. E se a população de traíras diminuir? É simples! A população de lambaris aumentará. Sabendo disso, podemos analisar o gráfico.

Vamos primeiro descrever o que está ocorrendo com a população de traíras ao longo do tempo. Repare que, no início, a densidade da população de traíras se mantém quase inalterada e depois ela diminui até desaparecer totalmente. Sabendo que as traíras diminuem e desaparecem no final, podemos dizer que a população de lambaris deverá crescer nesse período. Ao analisarmos o gráfico, vemos que apenas a curva 5 indica um aumento na densidade populacional que seria condizente com os lambaris.

Sendo assim, a resposta é a letra D.

 

QUESTÃO 46

Esta questão fala sobre gametas e determinação cromossômica do sexo. Como sabemos, na espécie humana existe um par de cromossomos sexuais; no sexo feminino, este par é formado por dois cromossomos X; no sexo masculino, o par é formado por um cromossomo X e um cromossomo Y. Como a mulher só possui cromossomo X, ela é chamada de sexo homogamético, pois todos os seus gametas possuirão o cromossomo X. O homem, por sua vez, é dito heterogamético, pois produz alguns gametas contendo o cromossomo X e outro contendo o cromossomo Y. Sendo assim, o homem é quem determina o sexo do embrião; se um espermatozoide contendo um cromossomo X fecundar um óvulo, ele formará um embrião XX, que é do sexo feminino; por outro lado, se um espermatozoide contendo um cromossomo Y fecundar um óvulo, ele formará um embrião XY, que é do sexo masculino.

Com base nesses conceitos podemos resolver a questão, que pergunta qual gráfico representa a probabilidade dos quatro embriões serem do sexo masculino. Vamos analisar cada situação:

– No caso do embrião E1, foram utilizados 500.000 espermatozoides, todos contendo o cromossomo X. Com base em nossos conhecimentos adquiridos acima, podemos ver que a chance de gerar uma criança do sexo masculino é nula, visto que estes teriam de receber o cromossomo Y do pai.

– No caso do embrião E2, foram utilizados 100.000 espermatozoides e 25.000 contém o cromossomo X, o que significa que os outros 75.000 possuem o cromossomo Y. Sendo assim, a probabilidade neste caso seria de 75%, visto que este é o percentual de espermatozoides do pai que contém o cromossomo Y.

– No caso do embrião E3, foram utilizados 400.000 espermatozoides e 100.000 contém o cromossomo X, o que significa que os outros 300.000 possuem o cromossomo Y. Sendo assim, a probabilidade neste caso também seria de 75%, visto que este é percentual de espermatozoides do pai que contém o cromossomo Y.

– No caso do embrião E4, foram utilizados 250.000 espermatozoides e 125.000 contém o cromossomo X; sendo assim, a outra metade conterá o cromossomo Y. Desse modo, a probabilidade neste caso seria de 50%, visto que este é o percentual de gametas do pai que contém o cromossomo Y.

Com base nessas probabilidades, podemos ver que somente o gráfico 1 apresenta estes valores para cada caso. Logo, a resposta correta é a letra A.

Vamos discutir as questões de mais uma prova da UERJ? Abaixo se encontra o link para a prova:

http://www.vestibular.uerj.br/portal_vestibular_uerj/arquivos/arquivos2002/2002eq1_2de3.pdf

 

QUESTÃO 26

Esta questão exige o conhecimento de determinadas características de proteínas e do DNA, que são estudados na parte de bioquímica.

Para resolvê-la, teremos que associar as informações apresentadas no enunciado com as informações apresentadas no gráfico.

No enunciado, diz-se que o DNA apresenta carga negativa (lembre-se que isso se deve à presença de grupamentos fosfato nesta molécula) e está ligado com proteínas de caráter básico chamadas de histonas. Sabendo disso, precisamos julgar qual será a carga apresentada pelas histonas em pH básico, para que possamos determinar qual das quatro proteínas apresentadas no gráfico poderá ser uma histona. Para isso, basta lembrarmos da lei de atração e repulsão, que diz:

“Cargas opostas se atraem, enquanto cargas iguais se repelem.”

Tendo esse princípio em mente, podemos dizer que as histonas possuirão qual tipo de carga? Muito bem! Se o DNA possui carga negativa, só poderá interagir com proteínas que possuem carga positiva. Então, em pH básico, as histonas possuem carga positiva.

Agora vamos analisar o gráfico. Para determinar qual dessas proteínas pode ser uma histona, precisamos verificar qual delas apresenta carga positiva em pH básico (lembrando que pH básico é aquele acima de 7). Analisando o gráfico, vemos que somente a proteína W possui carga positiva em alguns valores de pH básico (entre 7 e 10). Logo, somente ela poderá ser uma histona.

Desse modo, a resposta correta é a letra A.

 

QUESTÃO 30

Essa questão pretende determinar o caminho percorrido por uma dada substância injetada por via venosa. Vamos raciocinar.

Uma injeção venosa é realizada em uma veia, um vaso sanguíneo que leva o sangue do corpo para o coração. Sendo assim, já podemos eliminar as alternativas A e C, que mencionam os pulmões como o primeiro destino dessa substância.

Após isso, devemos nos perguntar: “Por qual lado do coração o sangue proveniente do corpo retorna?”. A resposta é simples: o sangue proveniente das diversas partes do corpo retorna sempre pelo lado direito do coração. Então, o sangue contendo essa substância chegará no átrio direito e passará para o ventrículo direito. Este, por sua vez, bombeará o sangue para os pulmões (onde ocorre a troca de gases). Posteriormente, o sangue retornará ao coração pelo átrio esquerdo, passará para o ventrículo esquerdo. Este, por fim, bombeará o sangue para o corpo, incluindo o órgão-alvo da substância, que é o rim.

Desse modo, a resposta correta é a letra B.

Imagem

 

QUESTÃO 32

Essa questão exige alguns conhecimentos de fisiologia humana e metabolismo energético para a sua resolução. Repare que a frase apresentada diz que todo o oxigênio absorvido sob a forma de oxigênio, é eliminado sob a forma de gás carbônico. Esta frase sugere que o oxigênio é transformado em CO2 no nosso corpo, o que não é verdadeiro. Mas qual seria a justificativa desta afirmativa ser falsa? Vamos analisar cada alternativa apresentada na questão:

– Este item está incorreto, pois afirma que o CO2 é eliminado pelos rins sob a forma de bicarbonato. Essa é outra forma de excreção de gás carbônico pelo corpo, mas não é a principal, que envolve a eliminação deste gás por meio do processo expiratório. Alternativa incorreta.

– Os pulmões são responsáveis pela eliminação da maior parte do gás carbônico produzido em nosso metabolismo. Apenas uma pequena parcela é eliminada pela urina sob a forma de bicarbonato. Alternativa incorreta.

– O oxigênio atua como aceptor final de elétrons na cadeia respiratória mitocondrial e forma água ao término deste processo. Logo, a alternativa está correta.

– As reações metabólicas das células humanas envolvem a realização de processos que consomem o oxigênio, mas não o produzem. Logo, tal afirmativa é incorreta.

Sendo assim, a resposta correta é a letra C.

Imagem

 

QUESTÃO 35

Esta questão discute os dois tipos de hidrólise (quebra) a que a sacarose (um dissacarídeo) pode ser submetida: hidrólise ácida ou catálise enzimática.

Então, para resolvê-la, precisamos buscar diferenças entre a hidrólise ácida e a catálise enzimática. Como temos mais conhecimento sobre a ação das enzimas na parte de bioquímica, vamos relembrar algumas características da catálise enzimática:

– As enzimas são proteínas que aceleram as reações químicas;

– Reações enzimáticas são afetadas pela temperatura e pelo pH do meio, visto que alterações bruscas nestes fatores podem provocar desnaturação e perda da atividade enzimática;

– A concentração de substrato também afeta as reações enzimáticas. Inicialmente, a velocidade da reação tende a aumentar rapidamente (indica que o substrato é consumido rapidamente) e, posteriormente, a velocidade da reação vai diminuindo até se tornar constante.

Estas informações serão suficientes para resolvermos a nossa questão. Em primeiro lugar, pede-se para indicar quais curvas representam a hidrólise ácida e a catálise enzimática. Para resolvermos isso, vamos usar o gráfico de referência. Vamos anotar nossas observações com relação às curvas X e Y no gráfico de referência:

– A curva X é representada por uma reta decrescente, o que indica uma redução na concentração de sacarose ao longo do tempo.

– A curva Y indica um decréscimo mais rápido na concentração de sacarose seguido por um período de decréscimo mais lento, tendendo a ficar constante.

Sabendo disso, qual curva representa a hidrólise ácida? E a catálise enzimática? Pelas nossas anotações sobre a catálise enzimática feitas no início da resolução, podemos dizer que a curva Y representa a catálise enzimática, enquanto a curva X representa a hidrólise ácida. Podemos dizer isso, pois é notável que a velocidade da reação é muito maior na curva Y; observe que a concentração de sacarose cai mais rapidamente do que na curva X. Além disso, podemos observar que a curva tende a se estabilizar em determinado momento.

Agora precisamos determinar qual dos dois gráficos experimentais representam uma experiência realizada à 80ºC. Lembre-se que as enzimas humanas atuam em uma temperatura de 37ºC. Desse modo, a uma temperatura de 80ºC, as enzimas sofrerão desnaturação e perderão a sua atividade biológica (serão incapazes de realizar a sua função). Então, ao analisarmos os gráficos, veremos que, somente no gráfico 1, houve perda da atividade biológica, pois a curva Y se mantém constante, ou seja, a enzima não está digerindo a sacarose e por isso sua concentração não se altera.

Sendo assim, a resposta correta é a letra A.

Imagem

 

QUESTÃO 39

Esta questão se baseia em um texto que fala sobre o derramamento de óleo em ambientes aquáticos e discute o acúmulo dessas substâncias até que atinjam o topo da pirâmide alimentar.

Na pergunta, questiona-se qual o nome do processo de acúmulo de substâncias ao longo da pirâmide alimentar. Quatro alternativas diferentes são apresentadas. Vamos discuti-las:

– Biogênese: este é o nome dado a uma das principais teorias de origem da vida. Esta teoria elucida que um ser vivo só pode surgir a partir de outro ser vivo existente;

– Biossíntese: é a síntese biológica de diversas moléculas presentes nas células. Por exemplo, a biossíntese de ácidos graxos, de nucleotídeos, de aminoácidos, etc.

– Biodegradação: capacidade que uma substância tem de ser degradada biologicamente por seres vivos chamados de decompositores.

– Bioacumulação: acúmulo de substâncias não-biodegradáveis nos tecidos dos seres vivos, de modo que, ao se alimentarem, estas substâncias possam se acumular ao longo dos níveis tróficos das cadeias alimentares.

Com base nos conceitos apresentados acima, vemos a alternativa correta é a letra D. 

VESTIBULAR UERJ 2015

Publicado: 25 de março de 2014 em Sem categoria

ATENÇÃO!!!

Já foi divulgado o período de inscrições do 1º Exame de Qualificação da UERJ do vestibular 2015. As inscrições serão realizadas no período de 8 a 28 de Abril de 2014 e sua taxa será de R$ 49,00. Para mais informações, acesse: http://www.vestibular.uerj.br

EXAME DE QUALIFICAÇÃO DA UERJ – 2001

 

QUESTÃO 31

A resolução desta questão exige a observação das alternativas apresentadas e sua confirmação ou rejeição mediante a análise do diagrama apresentado.

A alternativa A diz que existem eucariontes unicelulares. Vamos analisar o diagrama e ver se tal afirmação é correta. Ao analisar o diagrama, vemos que os eucariontes são formados pelos protistas, fungos, plantas e animais e vemos que os protistas são unicelulares. Logo, a afirmativa está correta.

A alternativa B diz que existem procariontes pluricelulares. A análise do diagrama indica que os únicos procariontes pertencem aos moneras, que são todos unicelulares. Logo, a afirmativa é incorreta.

A alternativa C diz que não existem procariontes unicelulares. Como vimos acima, todos os procariontes são unicelulares. Portanto, esta afirmativa está incorreta.

A alternativa D diz que não existem eucariontes pluricelulares. Ao analisarmos o diagrama, vemos que fungos, animais e plantas são eucariontes e pluricelulares. Logo, esta afirmativa é incorreta.

Sendo assim, a resposta correta é a letra A.

 

SÍNTESE DA QUESTÃO:

 

REINO

CARACTERÍSTICAS

Monera

Procariontes, unicelulares, heterótrofos (bactérias) ou autotrófos (cianobactérias).

Protista

Eucariontes, unicelulares (protozoários) ou pluricelulares (algumas algas) heterótrofos (protozoários) ou autótrofos (algas).

Fungi

Eucariontes, unicelulares ou pluricelulares, heterótrofos por absorção.

Plantae

Eucariontes, pluricelulares e autótrofos.

Animalia

Eucariontes, pluricelulares e heterótrofos por ingestão.

 

DICA!

Como vocês viram nesta questão, a análise da primeira alternativa já nos indicou qual a resposta correta. Sempre que isso ocorrer e não houver dúvidas com relação à certeza da resposta correta, não percam tempo lendo as demais alternativas.

 

 

QUESTÃO 35

Para resolver esta questão precisamos observar os gases mencionados nas alternativas. São eles: monóxido de carbono (CO), oxigênio (O2), gás carbônico (CO2) e nitrogênio (N2). Destes gases, apenas o oxigênio e o gás carbônico têm participação na respiração humana. O gás nitrogênio, encontrado em grande abundância na atmosfera (78%), é um gás inerte, ou seja, não é absorvido pelo corpo durante a troca de gases no pulmão e não é tóxico. Sendo assim, o único gás restante é o CO. Este gás é produzido na queima (combustão) incompleta dos combustíveis que abastecem os veículos automotivos e é altamente tóxico. Mas porque ele é tóxico? A resposta é simples: o CO se combina com a molécula de hemoglobina (proteína presente nas hemácias, que é responsável por transportar o oxigênio pelo corpo) e impede o transporte de oxigênio no sangue. Sendo assim, afeta o sistema circulatório (responsável pelo transporte de gases respiratórios) e o sistema nervoso, visto que o mesmo é incapaz de obter energia por mecanismos anaeróbios (sem oxigênio).

Sendo assim, a alternativa correta é a letra A.

Imagem 

 

QUESTÃO 36

Nesta questão é feita uma associação entre o volume de ar inspirado e a frequência respiratória, com o objetivo de determinar qual o gás que afeta o centro respiratório (responsável por controlar a respiração). Para resolvê-la, vamos analisar as alternativas apresentadas:

 

– A alternativa A diz que o volume de ar inspirado diminui quando a concentração de oxigênio diminui. Vamos analisar a tabela referente ao oxigênio. Repare que quanto maior a concentração de oxigênio, menor é o volume de ar inspirado; isso indica uma relação inversamente proporcional entre a concentração de oxigênio e o volume de ar inspirado. Logo, esta afirmativa é incorreta.

 

– A alternativa B diz que a frequência respiratória dobra quando a concentração de oxigênio aumenta. Vamos analisar a tabela referente ao oxigênio. Repare que em nenhuma circunstância a frequência respiratória dobra, visto que o valor mínimo é de 14 respirações/min e o máximo de 18 respirações/min. Essa informação é suficiente para indicar que a afirmativa é incorreta.

 

– A alternativa C diz que o volume de ar inspirado aumenta quando a concentração de gás carbônico aumenta. Vamos analisar a tabela referente a este gás. Repare que, na maioria dos casos, a maior concentração de gás carbônico implica em um maior volume de ar inspirado (relação diretamente proporcional). Sendo assim, esta afirmativa é correta.

 

– A alternativa D diz que a frequência respiratória dobra quando a concentração de gás carbônico diminui. Vamos analisar a tabela referente a este gás. Repare que a frequência respiratória dobra (vai de 13 ou 14 para 27 respirações/min) quando a concentração de CO2 aumenta e se reduz quando a concentração de CO2 diminui. Portanto, a afirmativa está incorreta.

 

Sendo assim, a resposta correta é a letra C.

 

FIQUE DE OLHO!!!

 Imagem

 

QUESTÃO 40

Esta é uma questão que fala sobre cadeias alimentares e fluxo de energia. Para resolvê-la, vamos relembrar o que ocorre com a energia ao longo da cadeia alimentar:

 

“A quantidade de energia diminui ao longo da cadeia alimentar, pois parte dela é perdida sob a forma de calor e outra parte é utilizada pelos próprios seres vivos em suas atividades”.

 

Sendo assim, quanto mais afastado da base da cadeia estiver um dado ser vivo, menor será a quantidade de energia disponível para o próximo nível trófico. Então, para que o peixe obtivesse a maior quantidade de energia possível, ele deveria se alimentar dos produtores (seres que produzem seu próprio alimento), visto que estes são os seres vivos que possuem maior quantidade de energia disponível por estarem na base da cadeia. No caso da questão, os produtores são representados pelas algas. Logo, a resposta correta é a letra A.

 

QUESTÃO 45

Esta questão analisa o comportamento de leveduras sob duas condições distintas: favoráveis à nutrição e desfavoráveis à nutrição. Em ambos os casos, avaliam-se dois parâmetros: massa atingida pela célula e duração do ciclo de divisão celular. Na pergunta, pede-se para marcar a alternativa que representa a alteração nestes dois parâmetros na segunda situação (condições desfavoráveis à nutrição).

Ao compararmos os gráficos veremos que a massa celular atingida continua a mesma (observe que o ponto máximo continua sendo o mesmo). Portanto, a massa celular não se altera. Contudo, verificaremos que os intervalos de tempo tornam-se maiores, indicando que a duração do ciclo de divisão celular aumenta. Desse modo, a alternativa D é a resposta correta.

 

E aqui estamos para divulgar nossa primeira resolução de provas de primeira fase da Fuvest. Começaremos pela discussão das questões das provas do vestibular 2013, ou seja, da prova do ano passado. Façam bom proveito!

As questões da prova de 2013 estão disponíveis no seguinte link:

http://www.fuvest.br/vest2013/provas/prova_fuv2013_1fase.pdf

As questões de Biologia vão do número 35 até o 44. Os comentários serão identificados pelo número da questão.

 

35) Para resolver esta questão, devemos lembrar os conceitos de meios hipotônico e hipertônico. Um meio hipotônico representa uma solução menos concentrada quando comparado ao interior da célula (meio intracelular). O meio hipertônico, por sua vez, representa uma solução mais concentrada em relação ao meio intracelular. Além disso, devemos nos lembrar que a célula apresenta uma tendência a equilibrar as concentrações em ambos os meios (extra e intracelular).

Para facilitar a resolução deste tipo de questões, lembre-se da seguinte regra:

– Quando a célula é colocada em meio HIPOTÔNICO, ela tende a absorver água. Nesta situação, a célula ficará túrgida. 

– Quando a célula é colocada em meio HIPERTÔNICO, ela tende a perder água. Nesta situação, a célula ficará murcha.

Desse modo, a figura I representa a célula colocada em meio hipotônico e a figura III representa a célula colocada em meio hipertônico. Logo, a resposta correta é a LETRA D.

 

36) Para resolver esta questão, basta lembrarmos os processos gerais que acontecem durante a fase S da interfase e durante a fase M (mitose).

Na fase S ocorre a duplicação do DNA. Sendo assim, se a célula-mãe possuía um par de alelos Bb antes da fase S, podemos inferir que, após a duplicação (fases S e G2), esta célula conterá duas cópias de cada um desses alelos.

Sabendo disso, somente as alternativas D e E poderão ser corretas. Para avaliar qual destas alternativas está correta, precisamos avaliar o que ocorre durante a mitose.

Durante a mitose, ocorre a separação dos cromossomos, de modo que cada célula-filha (C) receberá apenas uma cópia de cada um dos alelos citados (B e b).

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA E.

 

37) Esta questão envolve a interpretação de um heredograma. Para resolver este tipo de questão, algumas regras podem ser seguidas. Para auxiliá-los na resolução, peço que acessem a seguinte página: https://gleisonmagalhaes.wordpress.com/2013/10/30/analise-e-interpretacao-de-heredogramas/

Tendo conhecimento dos preceitos básicos sobre interpretação de heredogramas, vamos resolver a questão.

O primeiro passo na interpretação de heredogramas é sempre determinar se o caráter é dominante ou recessivo. Ao analisarmos as regras, veremos que uma delas diz que: “se o caráter for recessivo e ambos os pais possuírem esta característica, todos os seus filhos também serão recessivos e possuirão a mesma característica”. Ao analisarmos o heredograma, vemos que o casal II-4 e II-5 possui a característica mencionada na questão (lobo de orelha solto). Se este caráter for recessivo, todos os seus filhos terão a mesma característica. Agora analisem o heredograma e vejam se isso é verdade. Acredito que vocês tenham visto que o casal apresenta filhos com a característica lobo de orelha preso (são diferentes dos pais). Neste caso, podemos concluir que o caráter lobo de orelha solto é DOMINANTE. Logo, sabemos que o caráter lobo de orelha solto NÃO pode ser uma herança recessiva. Sendo assim, as alternativas A, B e D são as únicas que podem responder corretamente à questão.

Então, agora que sabemos que a herança do lobo de orelha solto não pode ser recessiva, devemos julgar quais das três alternativas que mencionam as heranças recessivas apresenta a justificativa correta.

Ao analisarmos a alternativa A, verificamos que é dito que os indivíduos II-1 e II-2 possuem um filho e uma filha com lobo de orelha solto; observando o heredograma, vemos que nenhum dos filhos deste casal apresenta tal característica; desse modo, tal justificativa está errada.

Ao analisarmos a alternativa B, verificamos que é dito que não pode ser herança autossômica recessiva, pois o casal II-4 e II-5 possui uma filha e dois filhos com o lobo de orelha preso. Tal afirmativa está correta. Lembre-se da seguinte regra: “Se a característica for recessiva e ambos os pais (pai e mãe) apresentarem esta característica, todos os seus filhos deverão apresentar esta característica e serão recessivos também. Esta regra é válida tanto para casos de herança autossômica, quanto para casos de herança ligada ao cromossomo X”.

Ao analisarmos a alternativa D, verificamos que é dito que não pode ser herança ligada ao X recessiva, pois o casal II-1 e II-2 tem uma filha com lobo de orelha preso. Vejamos esta situação: se a herança for ligada ao X recessiva, o indivíduo II-2, que possui o caráter lobo de orelha solto, teria um genótipo XhY, enquanto o indivíduo II-1, que possui o caráter lobo de orelha preso, teria um genótipo XHXH ou XHXh. Ao cruzarmos este casal, teríamos às seguintes possibilidades:

 

– Se a mãe for homozigota dominante, todos os seus filhos possuiriam a mesma característica que ela.

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

XH

XHXh

XHY

 

– Se a mãe for heterozigota, poderia possuir filhos homens ou mulheres portadores da característica lobo de orelha solto e também do lobo de orelha preso.

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

Xh

XhXh

XhY

 

Ao analisarmos o heredograma, verificamos que este casal gera apenas filhos com o caráter lobo de orelha preso. Logo, a justificativa apresentada na alternativa está incorreta.

Sendo assim, a alternativa B é a única que responde corretamente à questão proposta.

 

38) Para resolver esta questão devemos julgar qual a diferença entre cada situação e os processos que ocorrem em cada uma delas. Vamos relembrar os dois principais processos de produção de energia pelas leveduras:

– Respiração celular aeróbica: ocorre na presença de oxigênio (processo aeróbio). Caracteriza-se por produzir gás carbônico e água e ser energeticamente mais rentável.

– Fermentação alcoólica: ocorre na falta ou ausência de oxigênio (processo anaeróbio). Caracteriza-se por converter o piruvato (produzido na glicólise) em etanol e gás carbônico e ser energeticamente menos rentável.

Sabendo disso, vamos analisar a questão. No enunciado, menciona-se que o tanque é mantido aberto e, posteriormente, é fechado. Vamos raciocinar: se o tanque está aberto, a levedura estará em qual condição: presença ou ausência de oxigênio? A resposta é simples: claro que estará na presença de oxigênio e, portanto, realizará o primeiro processo (respiração celular aeróbica). Agora vamos pensar: se o tanque estiver fechado, a levedura estará na presença ou ausência de oxigênio? Muito bem: estará na ausência do oxigênio e, portanto, realizará fermentação alcoólica.

Uma vez que chegamos a essas conclusões, podemos inferir que o vinho será formado apenas durante a etapa anaeróbia, ou seja, na fermentação alcoólica. Desse modo, podemos deduzir que a alternativa correta é a LETRA A.

 

39) Esta questão não exige conhecimentos no ramo da biologia. Para resolvê-la, basta interpretar corretamente os dados apresentados no gráfico e saber relacioná-lo com as informações presentes na tabela.

O gráfico, por exemplo, nos apresenta a relação entre a massa corporal (eixo X) e a frequência cardíaca (eixo Y). Qual informação pode ser obtida a partir deste gráfico? Qual a relação existente entre a massa corporal e a frequência cardíaca? A relação é diretamente ou inversamente proporcional? Todas essas perguntas são importantes no momento de interpretar um gráfico. Para conseguir chegarmos a alguma conclusão, devemos observar o que acontece com uma das variáveis em função de alterações na outra. Então, analisem o gráfico e tentem me indicar o que ocorre com a frequência cardíaca quando aumentamos a massa corporal. Se você tiver analisado com atenção, verificará que, conforme aumentamos a massa corporal, haverá uma redução na frequência cardíaca. Sendo assim, estas variáveis são inversamente proporcionais.

Após isso, poderemos analisar as afirmativas apresentadas na questão.

– A alternativa I está correta, visto que a cuíca possui menor massa corporal que a capivara (lembre-se que quanto maior a massa corporal menor a frequência cardíaca e vice-versa).

– A alternativa II também está correta. O gambá possui menor massa corporal que o bugio; logo, sua frequência cardíaca será maior que a do bugio. O sagui, por sua vez, possui menor massa corporal que o gambá; portanto, o sagui terá maior frequência cardíaca que o gambá.

– A alternativa III está incorreta, pois verificamos que a frequência cardíaca é inversamente proporcional à massa corporal, ou seja, quanto maior a massa corporal, menor será a frequência cardíaca.

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA D.

 

40) Para resolver esta questão, vamos analisar cada alternativa separadamente. Primeiro, vamos olhar as alternativas que dizem que a aproximação entre fungos e plantas se justifica, apresentadas nas alternativas B, D e E.

– Alternativa B: tanto fungos quanto os vegetais possuem células revestidas por uma parede celular. No entanto, a parede celular dos fungos é formada por quitina, enquanto a parede celular dos vegetais é formada por celulose. Sendo assim, tal alternativa está incorreta.

– Alternativa D: existe um tipo de organela citoplasmática exclusiva dos vegetais, que são os plastos (sobretudo os cloroplastos), que não são encontradas em nenhum outro tipo de ser vivo. Portanto, esta alternativa está incorreta.

 – Alternativa E: os fungos apresentam diferentes formas de reprodução. As leveduras, que são fungos unicelulares, se reproduzem por divisão binária; fungos pluricelulares, por sua vez, podem utilizar processos de reprodução sexuada que envolvem a plasmogamia e a cariogamia. As algas verdes geralmente realizam alternância de gerações (metagênese). Sendo assim, tal alternativa está incorreta.

Agora vamos, analisar as alternativas A e C, que dizem que tal aproximação entre fungos e plantas não se justifica. 

– Alternativa A: os fungos não possuem tecidos verdadeiros; logo, não podem possuir estrutura parecida nem com animais nem com plantas. Então, esta alternativa está incorreta.

– Alternativa C: os fungos são organismos heterotróficos por absorção e armazenam energia sob a forma de glicogênio (polissacarídeo formado de glicose), enquanto as plantas são organismos autotróficos (realizam fotossíntese) e armazenam energia sob a forma de amido. Ao analisarmos estas características, verificamos que fungos e plantas possuem formas diferentes de obter e armazenar energia. Portanto, a alternativa está correta.

 

41) Esta questão exige a interpretação correta do cladograma ou árvore evolutiva. Além disso, devemos nos lembrar que os invertebrados estão divididos em diversos filos, enquanto os vertebrados estão presentes em apenas um filo. Sendo assim, os invertebrados são divididos em: poríferos, cnidários, platelmintos, nematódeos, moluscos, anelídeos, artrópodes e equinodermos, enquanto os vertebrados são encontrados apenas no filo dos cordados. E ainda devemos lembrar que nem todos os cordados são vertebrados, visto que o filo Chordata é subdividido em cordados vertebrados (aves, mamíferos, peixes, répteis e anfíbios) e cordados invertebrados (cefalocordados e urocordados, como o anfioxo e as ascídias).

Uma vez que relembramos este conceito, poderemos aplicá-los na resolução da questão. Observem que esta divisão apresentada no cladograma da questão está errada, ou seja, não é justificada, visto que os vertebrados são apenas uma parte de um desses filos, o dos cordados. Sendo assim, este cladograma não representa a real classificação biológica dos animais, pois ignora o fato de existirem cordados invertebrados (cefalocordados e urocordados). Logo, a alternativa correta é a LETRA B.

 

42) Para resolver esta questão, devemos relembrar o que é o Anel de Malpighi. Ele corresponde a uma porção de tecido vegetal, geralmente retirado do caule e dos ramos de angiospermas (principal grupo de vegetais). Está técnica envolve a remoção do floema presente no caule do vegetal e induz a morte do vegetal, visto que se tornará incapaz de levar nutrientes, produzidos na fotossíntese, até a raiz.

Ao analisarmos as alternativas, veremos que somente duas delas, a letra A e a D, citam o floema. Sendo assim, a resposta correta deverá ser uma dessas alternativas.

Para verificarmos qual delas é a correta, precisamos avaliar as diferenças. A primeira diferença mencionada é o órgão de onde foi retirado o anel de malpighi; na letra A menciona-se que a retirada foi feita no caule e na letra D diz-se que o anel foi retirado do caule ou ramo. Esta informação será crucial para a resolução da questão. Pense da seguinte forma:

“Se retirarmos o anel do caule, obrigatoriamente a planta não conseguirá levar os nutrientes, produzidos na fotossíntese nas folhas, até a raiz. Logo, a planta morrerá.”

“Se retirarmos o anel de um dos ramos da planta, não haverá morte do vegetal. Isso se deve ao fato dos nutrientes produzidos em outros ramos poderem chegar até o caule, de onde serão levados até a raiz.”

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA A.

 

43) Esta questão fala sobre a formação dos frutos no morango. O fruto nesta planta são as estruturas escuras, chamadas de aquênios, presentes na polpa suculenta.

Para resolver tal questão, basta lembrarmos o conceito botânico de fruto:

“O fruto é gerado pelo desenvolvimento do ovário da flor.”

Sabendo disso, podemos afirmar que a alternativa correta é a LETRA B.

 

Lembre-se: qualquer estrutura que seja formada por outra parte da flor, como, por exemplo, pelo receptáculo ou pedúnculo floral, não é um fruto verdadeiro, sendo chamado de PSEUDOFRUTO.

 

 

44) Esta questão exige a interpretação de um gráfico, que deverá ser utilizada para julgar as afirmativas apresentadas na questão.

O gráfico traz duas informações: as mudanças na concentração de oxigênio na atmosfera ao longo dos anos e as mudanças no número de espécies marinhas ao longo dos anos.

Vamos analisar as afirmativas apresentadas e tentar relacioná-las com o gráfico:

– Na afirmativa I diz-se que houve eventos de extinção que reduziram em mais de 50% o número de espécies. Ao analisarmos o gráfico, veremos que no período entre 300 e 250 milhões de anos atrás houve uma queda significativa na quantidade de espécies. Observe que, em determinado momento neste intervalo, existiam mais ou menos 1 milhão de espécies e que, por volta de 250 milhões de anos atrás, esse número chega a quase zero, indicando uma redução superior a 50%. Logo, esta afirmativa está correta.

Sabendo que a afirmativa I está correta, somente as alternativas A e D podem estar corretas. Sendo assim, precisaremos analisar apenas a afirmativa II para determinar qual alternativa está correta. Então, vamos analisar a afirmativa II:

– A afirmativa II diz que as grandes extinções estão relacionadas com a diminuição da atividade fotossintética. Muitos de vocês devem estar se perguntando:

“O que a fotossíntese tem a ver com a questão se em nenhum momento ela é mencionada no enunciado?”.

Lembre-se que o processo de fotossíntese produz oxigênio; logo, se a atividade fotossintética aumenta, a concentração de oxigênio na atmosfera também aumenta e vice-versa.

Tendo esta relação entre fotossíntese e concentração de oxigênio em mente, vamos analisar o gráfico.

Primeiro, vamos marcar os principais eventos de extinção (redução brusca no número de espécies) observados no período de tempo apresentado no gráfico. Vamos marcar todos os períodos em que ocorre redução na quantidade de espécies. Se fizerem com atenção, observarão que ocorrem grandes extinções nos seguintes intervalos de tempo: entre 550 e 500 milhões de anos, entre 500 e 450 milhões de anos, por volta de 400 milhões de anos, entre 300 e 250 milhões de anos e entre 100 e 50 milhões de anos.

Após isso, devemos observar se houve grandes alterações na concentração de oxigênio nesses intervalos em que ocorreram as grandes extinções. Se observarem o gráfico com atenção, vocês irão ver que não ocorreram alterações na concentração de oxigênio nos intervalos das duas primeiras extinções apresentadas no gráfico (entre 550 e 500 milhões de anos, entre 500 e 450 milhões de anos). Esta informação já é suficiente para julgarmos que esta afirmativa está incorreta. E poderemos confirmar isso, ao analisarmos os demais períodos de extinção.

Sabendo que a afirmativa I está correta e a afirmativa II é incorreta, podemos concluir que a resposta correta é a LETRA A.

 

DICA: repare que, nesta questão, não houve necessidade de julgarmos a terceira afirmativa. Fiquem atentos a essas possibilidades apresentadas nas questões de vestibulares. O maior inimigo na hora da prova é o tempo curto para a realização das questões; logo, a possibilidade de ganhar tempo na resolução de uma questão não deve ser desperdiçada!

ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE HEREDOGRAMAS

Publicado: 30 de outubro de 2013 em Genética

Um dos tópicos mais exigidos em provas de vestibular é a capacidade do aluno interpretar heredogramas ou genealogias, que representam o padrão de hereditariedade de determinada característica em uma família ao longo das gerações. Sendo assim, para auxiliar os alunos na resolução destas questões podemos seguir às seguintes regras:

 

1ª) A presença de pais normais gerando filhos doentes ou portadores de determinada característica indica que tal caráter é RECESSIVO.

2ª) Se a característica for recessiva e ambos os pais (pai e mãe) apresentarem esta característica, todos os seus filhos deverão apresentar esta característica e serão recessivos também. Esta regra é válida tanto para casos de herança autossômica, quanto para casos de herança ligada ao cromossomo X.

3ª)Para saber se é um caso de herança autossômica ou ligada ao X é preciso efetuar cruzamentos-teste entre indivíduos para verificar a possibilidade, mas podemos também seguir às seguintes regras:

 

– Se o caráter for dominante e ligado ao X e ambos os pais possuírem esta característica e a mãe for homozigota para ela, todos os filhos deste casal deverão possuir a característica.

 

XH

Y

XH

XHXH

XHY

XH

XHXH

XHY

 

Se o caráter for dominante e ligado ao X e ambos os pais possuírem esta característica e a mãe for heterozigota para ela, todas as filhas mulheres deverão possuir a característica, enquanto os filhos homens poderão ou não possuir a característica.

 

XH

Y

XH

XHXH

XHY

Xh

XHXh

XhY

 

– Se o caráter for dominante e ligado ao X e nenhum dos pais possuírem a característica, nenhum dos filhos poderá possuir a característica.

 

Xh

Y

Xh

XhXh

XhY

Xh

XhXh

XhY

 

 

– Se o caráter for dominante e ligado ao X e somente o pai possuir esta característica, apenas as filhas mulheres apresentarão a característica.

 

XH

Y

Xh

XHXh

XhY

Xh

XHXh

XhY

 

– Se o caráter for dominante e ligado ao X e somente a mãe possuir a característica, sendo ela homozigota, todos os filhos (homens e mulheres) possuirão a característica. 

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

XH

XHXh

XHY

 

– Se o caráter for dominante e ligado ao X e somente a mãe apresentar a característica, sendo ela heterozigota, tanto os filhos homens quanto as filhas mulheres poderão apresentar ou não a característica em igual probabilidade.

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

Xh

XhXh

XhY

 

– Se o caráter for recessivo e ligado ao X e ambos os pais possuírem esta característica, todos os seus descendentes deverão possuir a mesma característica que os pais. 

 

Xh

Y

Xh

XhXh

XhY

Xh

XhXh

XhY

 

– Se o caráter for recessivo e ligado ao X e nenhum dos pais possuírem a característica e a mãe for homozigota para ela, nenhum dos filhos poderá ter a característica.

 

XH

Y

XH

XHXH

XHY

XH

XHXH

XHY

Se o caráter for recessivo e ligado ao X e nenhum dos pais possuírem a característica e a mãe for heterozigota para ela, somente os filhos homens poderão apresentar a característica.

 

XH

Y

XH

XHXH

XHY

Xh

XHXh

XhY

Outro ponto importante é que características ligadas ao cromossomo X tendem a ser mais frequentes nos homens, visto que estes só possuem um único cromossomo X, ou seja, basta possuir um único alelo para ter a característica.

 

4ª) Os caracteres ligados ao cromossomo Y só estão presentes em homens, mas cuidado! O simples fato de só haverem homens afetados por determinada característica não significa que é um caso de herança ligada ao cromossomo Y. Para ser uma herança ligada ao Y é necessário que todos os homens descendentes diretos ou indiretos de um homem que apresente a característica também possuam a mesma característica. Vejamos o seguinte exemplo:

 

– João apresenta hipertricose auricular (caráter ligado ao Y) e casou-se com Maria, tendo quatro filhos, dois homens (Thiago e Marcelo) e duas mulheres (Renata e Carla). Todos os seus filhos se casaram e, cada um deles, teve um casal de filhos. Quantos netos de João apresentarão hipertricose auricular? Repare o seguinte, por se tratar de um caráter ligado ao Y, somente os dois filhos homens de João irão herdar esta característica, ou seja, Thiago e Marcelo. Portanto, somente os filhos homens de Thiago e Marcelo herdarão esta mesma característica de seus pais, ou seja, dois netos.

 

Utilizando as regras acima, vocês poderão determinar se o caráter é ligado ao cromossomo X ou autossômico. Por fim, lembrem-se que a primeira etapa na interpretação de um heredograma é determinar se é uma herança dominante ou recessiva. Após isso, vocês poderão determinar se é um caso de herança autossômica ou ligada ao X.