Resolução da Prova da Fuvest – Vestibular 2013 – 1ª fase

Publicado: 4 de novembro de 2013 em FUVEST

E aqui estamos para divulgar nossa primeira resolução de provas de primeira fase da Fuvest. Começaremos pela discussão das questões das provas do vestibular 2013, ou seja, da prova do ano passado. Façam bom proveito!

As questões da prova de 2013 estão disponíveis no seguinte link:

http://www.fuvest.br/vest2013/provas/prova_fuv2013_1fase.pdf

As questões de Biologia vão do número 35 até o 44. Os comentários serão identificados pelo número da questão.

 

35) Para resolver esta questão, devemos lembrar os conceitos de meios hipotônico e hipertônico. Um meio hipotônico representa uma solução menos concentrada quando comparado ao interior da célula (meio intracelular). O meio hipertônico, por sua vez, representa uma solução mais concentrada em relação ao meio intracelular. Além disso, devemos nos lembrar que a célula apresenta uma tendência a equilibrar as concentrações em ambos os meios (extra e intracelular).

Para facilitar a resolução deste tipo de questões, lembre-se da seguinte regra:

– Quando a célula é colocada em meio HIPOTÔNICO, ela tende a absorver água. Nesta situação, a célula ficará túrgida. 

– Quando a célula é colocada em meio HIPERTÔNICO, ela tende a perder água. Nesta situação, a célula ficará murcha.

Desse modo, a figura I representa a célula colocada em meio hipotônico e a figura III representa a célula colocada em meio hipertônico. Logo, a resposta correta é a LETRA D.

 

36) Para resolver esta questão, basta lembrarmos os processos gerais que acontecem durante a fase S da interfase e durante a fase M (mitose).

Na fase S ocorre a duplicação do DNA. Sendo assim, se a célula-mãe possuía um par de alelos Bb antes da fase S, podemos inferir que, após a duplicação (fases S e G2), esta célula conterá duas cópias de cada um desses alelos.

Sabendo disso, somente as alternativas D e E poderão ser corretas. Para avaliar qual destas alternativas está correta, precisamos avaliar o que ocorre durante a mitose.

Durante a mitose, ocorre a separação dos cromossomos, de modo que cada célula-filha (C) receberá apenas uma cópia de cada um dos alelos citados (B e b).

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA E.

 

37) Esta questão envolve a interpretação de um heredograma. Para resolver este tipo de questão, algumas regras podem ser seguidas. Para auxiliá-los na resolução, peço que acessem a seguinte página: https://gleisonmagalhaes.wordpress.com/2013/10/30/analise-e-interpretacao-de-heredogramas/

Tendo conhecimento dos preceitos básicos sobre interpretação de heredogramas, vamos resolver a questão.

O primeiro passo na interpretação de heredogramas é sempre determinar se o caráter é dominante ou recessivo. Ao analisarmos as regras, veremos que uma delas diz que: “se o caráter for recessivo e ambos os pais possuírem esta característica, todos os seus filhos também serão recessivos e possuirão a mesma característica”. Ao analisarmos o heredograma, vemos que o casal II-4 e II-5 possui a característica mencionada na questão (lobo de orelha solto). Se este caráter for recessivo, todos os seus filhos terão a mesma característica. Agora analisem o heredograma e vejam se isso é verdade. Acredito que vocês tenham visto que o casal apresenta filhos com a característica lobo de orelha preso (são diferentes dos pais). Neste caso, podemos concluir que o caráter lobo de orelha solto é DOMINANTE. Logo, sabemos que o caráter lobo de orelha solto NÃO pode ser uma herança recessiva. Sendo assim, as alternativas A, B e D são as únicas que podem responder corretamente à questão.

Então, agora que sabemos que a herança do lobo de orelha solto não pode ser recessiva, devemos julgar quais das três alternativas que mencionam as heranças recessivas apresenta a justificativa correta.

Ao analisarmos a alternativa A, verificamos que é dito que os indivíduos II-1 e II-2 possuem um filho e uma filha com lobo de orelha solto; observando o heredograma, vemos que nenhum dos filhos deste casal apresenta tal característica; desse modo, tal justificativa está errada.

Ao analisarmos a alternativa B, verificamos que é dito que não pode ser herança autossômica recessiva, pois o casal II-4 e II-5 possui uma filha e dois filhos com o lobo de orelha preso. Tal afirmativa está correta. Lembre-se da seguinte regra: “Se a característica for recessiva e ambos os pais (pai e mãe) apresentarem esta característica, todos os seus filhos deverão apresentar esta característica e serão recessivos também. Esta regra é válida tanto para casos de herança autossômica, quanto para casos de herança ligada ao cromossomo X”.

Ao analisarmos a alternativa D, verificamos que é dito que não pode ser herança ligada ao X recessiva, pois o casal II-1 e II-2 tem uma filha com lobo de orelha preso. Vejamos esta situação: se a herança for ligada ao X recessiva, o indivíduo II-2, que possui o caráter lobo de orelha solto, teria um genótipo XhY, enquanto o indivíduo II-1, que possui o caráter lobo de orelha preso, teria um genótipo XHXH ou XHXh. Ao cruzarmos este casal, teríamos às seguintes possibilidades:

 

– Se a mãe for homozigota dominante, todos os seus filhos possuiriam a mesma característica que ela.

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

XH

XHXh

XHY

 

– Se a mãe for heterozigota, poderia possuir filhos homens ou mulheres portadores da característica lobo de orelha solto e também do lobo de orelha preso.

 

Xh

Y

XH

XHXh

XHY

Xh

XhXh

XhY

 

Ao analisarmos o heredograma, verificamos que este casal gera apenas filhos com o caráter lobo de orelha preso. Logo, a justificativa apresentada na alternativa está incorreta.

Sendo assim, a alternativa B é a única que responde corretamente à questão proposta.

 

38) Para resolver esta questão devemos julgar qual a diferença entre cada situação e os processos que ocorrem em cada uma delas. Vamos relembrar os dois principais processos de produção de energia pelas leveduras:

– Respiração celular aeróbica: ocorre na presença de oxigênio (processo aeróbio). Caracteriza-se por produzir gás carbônico e água e ser energeticamente mais rentável.

– Fermentação alcoólica: ocorre na falta ou ausência de oxigênio (processo anaeróbio). Caracteriza-se por converter o piruvato (produzido na glicólise) em etanol e gás carbônico e ser energeticamente menos rentável.

Sabendo disso, vamos analisar a questão. No enunciado, menciona-se que o tanque é mantido aberto e, posteriormente, é fechado. Vamos raciocinar: se o tanque está aberto, a levedura estará em qual condição: presença ou ausência de oxigênio? A resposta é simples: claro que estará na presença de oxigênio e, portanto, realizará o primeiro processo (respiração celular aeróbica). Agora vamos pensar: se o tanque estiver fechado, a levedura estará na presença ou ausência de oxigênio? Muito bem: estará na ausência do oxigênio e, portanto, realizará fermentação alcoólica.

Uma vez que chegamos a essas conclusões, podemos inferir que o vinho será formado apenas durante a etapa anaeróbia, ou seja, na fermentação alcoólica. Desse modo, podemos deduzir que a alternativa correta é a LETRA A.

 

39) Esta questão não exige conhecimentos no ramo da biologia. Para resolvê-la, basta interpretar corretamente os dados apresentados no gráfico e saber relacioná-lo com as informações presentes na tabela.

O gráfico, por exemplo, nos apresenta a relação entre a massa corporal (eixo X) e a frequência cardíaca (eixo Y). Qual informação pode ser obtida a partir deste gráfico? Qual a relação existente entre a massa corporal e a frequência cardíaca? A relação é diretamente ou inversamente proporcional? Todas essas perguntas são importantes no momento de interpretar um gráfico. Para conseguir chegarmos a alguma conclusão, devemos observar o que acontece com uma das variáveis em função de alterações na outra. Então, analisem o gráfico e tentem me indicar o que ocorre com a frequência cardíaca quando aumentamos a massa corporal. Se você tiver analisado com atenção, verificará que, conforme aumentamos a massa corporal, haverá uma redução na frequência cardíaca. Sendo assim, estas variáveis são inversamente proporcionais.

Após isso, poderemos analisar as afirmativas apresentadas na questão.

– A alternativa I está correta, visto que a cuíca possui menor massa corporal que a capivara (lembre-se que quanto maior a massa corporal menor a frequência cardíaca e vice-versa).

– A alternativa II também está correta. O gambá possui menor massa corporal que o bugio; logo, sua frequência cardíaca será maior que a do bugio. O sagui, por sua vez, possui menor massa corporal que o gambá; portanto, o sagui terá maior frequência cardíaca que o gambá.

– A alternativa III está incorreta, pois verificamos que a frequência cardíaca é inversamente proporcional à massa corporal, ou seja, quanto maior a massa corporal, menor será a frequência cardíaca.

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA D.

 

40) Para resolver esta questão, vamos analisar cada alternativa separadamente. Primeiro, vamos olhar as alternativas que dizem que a aproximação entre fungos e plantas se justifica, apresentadas nas alternativas B, D e E.

– Alternativa B: tanto fungos quanto os vegetais possuem células revestidas por uma parede celular. No entanto, a parede celular dos fungos é formada por quitina, enquanto a parede celular dos vegetais é formada por celulose. Sendo assim, tal alternativa está incorreta.

– Alternativa D: existe um tipo de organela citoplasmática exclusiva dos vegetais, que são os plastos (sobretudo os cloroplastos), que não são encontradas em nenhum outro tipo de ser vivo. Portanto, esta alternativa está incorreta.

 – Alternativa E: os fungos apresentam diferentes formas de reprodução. As leveduras, que são fungos unicelulares, se reproduzem por divisão binária; fungos pluricelulares, por sua vez, podem utilizar processos de reprodução sexuada que envolvem a plasmogamia e a cariogamia. As algas verdes geralmente realizam alternância de gerações (metagênese). Sendo assim, tal alternativa está incorreta.

Agora vamos, analisar as alternativas A e C, que dizem que tal aproximação entre fungos e plantas não se justifica. 

– Alternativa A: os fungos não possuem tecidos verdadeiros; logo, não podem possuir estrutura parecida nem com animais nem com plantas. Então, esta alternativa está incorreta.

– Alternativa C: os fungos são organismos heterotróficos por absorção e armazenam energia sob a forma de glicogênio (polissacarídeo formado de glicose), enquanto as plantas são organismos autotróficos (realizam fotossíntese) e armazenam energia sob a forma de amido. Ao analisarmos estas características, verificamos que fungos e plantas possuem formas diferentes de obter e armazenar energia. Portanto, a alternativa está correta.

 

41) Esta questão exige a interpretação correta do cladograma ou árvore evolutiva. Além disso, devemos nos lembrar que os invertebrados estão divididos em diversos filos, enquanto os vertebrados estão presentes em apenas um filo. Sendo assim, os invertebrados são divididos em: poríferos, cnidários, platelmintos, nematódeos, moluscos, anelídeos, artrópodes e equinodermos, enquanto os vertebrados são encontrados apenas no filo dos cordados. E ainda devemos lembrar que nem todos os cordados são vertebrados, visto que o filo Chordata é subdividido em cordados vertebrados (aves, mamíferos, peixes, répteis e anfíbios) e cordados invertebrados (cefalocordados e urocordados, como o anfioxo e as ascídias).

Uma vez que relembramos este conceito, poderemos aplicá-los na resolução da questão. Observem que esta divisão apresentada no cladograma da questão está errada, ou seja, não é justificada, visto que os vertebrados são apenas uma parte de um desses filos, o dos cordados. Sendo assim, este cladograma não representa a real classificação biológica dos animais, pois ignora o fato de existirem cordados invertebrados (cefalocordados e urocordados). Logo, a alternativa correta é a LETRA B.

 

42) Para resolver esta questão, devemos relembrar o que é o Anel de Malpighi. Ele corresponde a uma porção de tecido vegetal, geralmente retirado do caule e dos ramos de angiospermas (principal grupo de vegetais). Está técnica envolve a remoção do floema presente no caule do vegetal e induz a morte do vegetal, visto que se tornará incapaz de levar nutrientes, produzidos na fotossíntese, até a raiz.

Ao analisarmos as alternativas, veremos que somente duas delas, a letra A e a D, citam o floema. Sendo assim, a resposta correta deverá ser uma dessas alternativas.

Para verificarmos qual delas é a correta, precisamos avaliar as diferenças. A primeira diferença mencionada é o órgão de onde foi retirado o anel de malpighi; na letra A menciona-se que a retirada foi feita no caule e na letra D diz-se que o anel foi retirado do caule ou ramo. Esta informação será crucial para a resolução da questão. Pense da seguinte forma:

“Se retirarmos o anel do caule, obrigatoriamente a planta não conseguirá levar os nutrientes, produzidos na fotossíntese nas folhas, até a raiz. Logo, a planta morrerá.”

“Se retirarmos o anel de um dos ramos da planta, não haverá morte do vegetal. Isso se deve ao fato dos nutrientes produzidos em outros ramos poderem chegar até o caule, de onde serão levados até a raiz.”

Sendo assim, a resposta correta é a LETRA A.

 

43) Esta questão fala sobre a formação dos frutos no morango. O fruto nesta planta são as estruturas escuras, chamadas de aquênios, presentes na polpa suculenta.

Para resolver tal questão, basta lembrarmos o conceito botânico de fruto:

“O fruto é gerado pelo desenvolvimento do ovário da flor.”

Sabendo disso, podemos afirmar que a alternativa correta é a LETRA B.

 

Lembre-se: qualquer estrutura que seja formada por outra parte da flor, como, por exemplo, pelo receptáculo ou pedúnculo floral, não é um fruto verdadeiro, sendo chamado de PSEUDOFRUTO.

 

 

44) Esta questão exige a interpretação de um gráfico, que deverá ser utilizada para julgar as afirmativas apresentadas na questão.

O gráfico traz duas informações: as mudanças na concentração de oxigênio na atmosfera ao longo dos anos e as mudanças no número de espécies marinhas ao longo dos anos.

Vamos analisar as afirmativas apresentadas e tentar relacioná-las com o gráfico:

– Na afirmativa I diz-se que houve eventos de extinção que reduziram em mais de 50% o número de espécies. Ao analisarmos o gráfico, veremos que no período entre 300 e 250 milhões de anos atrás houve uma queda significativa na quantidade de espécies. Observe que, em determinado momento neste intervalo, existiam mais ou menos 1 milhão de espécies e que, por volta de 250 milhões de anos atrás, esse número chega a quase zero, indicando uma redução superior a 50%. Logo, esta afirmativa está correta.

Sabendo que a afirmativa I está correta, somente as alternativas A e D podem estar corretas. Sendo assim, precisaremos analisar apenas a afirmativa II para determinar qual alternativa está correta. Então, vamos analisar a afirmativa II:

– A afirmativa II diz que as grandes extinções estão relacionadas com a diminuição da atividade fotossintética. Muitos de vocês devem estar se perguntando:

“O que a fotossíntese tem a ver com a questão se em nenhum momento ela é mencionada no enunciado?”.

Lembre-se que o processo de fotossíntese produz oxigênio; logo, se a atividade fotossintética aumenta, a concentração de oxigênio na atmosfera também aumenta e vice-versa.

Tendo esta relação entre fotossíntese e concentração de oxigênio em mente, vamos analisar o gráfico.

Primeiro, vamos marcar os principais eventos de extinção (redução brusca no número de espécies) observados no período de tempo apresentado no gráfico. Vamos marcar todos os períodos em que ocorre redução na quantidade de espécies. Se fizerem com atenção, observarão que ocorrem grandes extinções nos seguintes intervalos de tempo: entre 550 e 500 milhões de anos, entre 500 e 450 milhões de anos, por volta de 400 milhões de anos, entre 300 e 250 milhões de anos e entre 100 e 50 milhões de anos.

Após isso, devemos observar se houve grandes alterações na concentração de oxigênio nesses intervalos em que ocorreram as grandes extinções. Se observarem o gráfico com atenção, vocês irão ver que não ocorreram alterações na concentração de oxigênio nos intervalos das duas primeiras extinções apresentadas no gráfico (entre 550 e 500 milhões de anos, entre 500 e 450 milhões de anos). Esta informação já é suficiente para julgarmos que esta afirmativa está incorreta. E poderemos confirmar isso, ao analisarmos os demais períodos de extinção.

Sabendo que a afirmativa I está correta e a afirmativa II é incorreta, podemos concluir que a resposta correta é a LETRA A.

 

DICA: repare que, nesta questão, não houve necessidade de julgarmos a terceira afirmativa. Fiquem atentos a essas possibilidades apresentadas nas questões de vestibulares. O maior inimigo na hora da prova é o tempo curto para a realização das questões; logo, a possibilidade de ganhar tempo na resolução de uma questão não deve ser desperdiçada!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s